A importância da identidade visual

Atualizado: 21 de Abr de 2019

Uma marca precisa ter a sua própria cara, ser diferente e autêntica, remetendo sempre a sua essência. Como o processo de construção da identidade visual pode conseguir isso?



Primeiramente, é muito importante que você queira realmente investir no visual da sua marca, há vários profissionais e agências especializados no mercado com preços bem variados, mas é bom ficar atento ao portfólio deles e acompanhar o processo! Você precisa ter carinho pela sua empresa, pelo nome, e estar na expectativa de um logotipo lindo de morrer (viver)!


Quando um profissional é contratado, ele vai pedir um briefing, isso nada mais é que uma descrição da empresa/projeto, um resumo que o possa fazer entender a vibe da marca e, assim, com todas as informações que você puder dar, o designer vai estudar e trabalhar para construir algo que transmita o sentimento que você passou pra ele, que a marca precisa ter. Por que isso é tão importante? Bem, não é legal uma marca de sapatos femininos ter o gato de botas ilustrado. Claro que cada marca tem sua proposta, mas o bom profissional vai limpar as ideias que você trouxer, criar possibilidades e te apresentar o melhor, ao final. O designer existe para isso: mostrar o que você precisa de forma limpa, apresentável e gostosa de se ver.


Existem grandes marcas que, em suas possíveis aplicações, podem se apresentar apenas com um ícone, como a Nike, a pepsi (da Pepsico) e a Johnnie Walker, com o cara de cartola caminhando, por exemplo. Claro que existe uma grande movimentação e investimento no marketing desses nomes a nível global, mas perceba como a identidade pode dar uma impressão à primeira vista! Bateu o olho, já sabe quem é. Isso é identidade!



O contato inicial cliente-designer é muito importante, primeiro pela necessidade das informações e briefing, mas também para que o dono da marca seja observador e crítico com seu próprio nome em jogo. O mercado saturado de pequenos designers e freelancers muitas vezes leva alguns desses a pegarem logotipos prontos e apenas ajustar, modificar, dar um retoque. Isso é bastante perigoso, tendo em vista a grande possibilidade de você tropeçar numa marca bem parecida com a sua por aí. Adeus, diferencial!


Algumas dicas que eu dou é: escolha o profissional, não o seu preço. É um investimento pontual que vai ficar para o resto da vida. Você pode escolher um designer de traço próprio, onde suas construções têm características de ilustração, referências temporais e fontes próprias do profissional, isso vai cair muito bem se você descobrir alguém que trabalhe na linha que sua marca deve ser apresentada (vintage, lettering, naturalista, por exemplo). Você também pode optar por bons profissionais e agências ecléticas, onde qualquer estilo de marca e logo podem ser construídos, isso vai se dar de acordo com o seu briefing inicial, como já falamos. Jamais esqueça que a marca é um filho muito especial. Sua beleza e apresentação contribuem para o alcance do público e para uma boa comunicação em geral. Pense sobre isso com muito carinho.

21 visualizações

© 2019 por Isaac Bibiano​. Todos os direitos reservados.